Desfile Animale SPFW Verão 2010 / 2011

 a href pinit fg en rect gray 20

Elaborada na construção, a coleção busca simplicidade estética.

Neste verão a marca investe em looks aparentemente simples, mas que revelam um estilo engenhoso aliado a materiais exclusivos, desenvolvidos pela Animale junto a fornecedores especializados. O resultado é uma imagem que coleciona algumas duplas de conceitos opostos e complementares. São eles: rústico + esportivo, retrô + minimal. Dentro deste melting pot está a essência da coleção.

A elaboração está nas modelagens de cortes esportivos aliadas a texturas rústicas e antigas. Bordados e rendas de algodão misturam-se a materiais de ponta que já são marca registrada da Animale. O paper, ou algodão duplo, entremeado por película de alumínio, traz o aspecto de um novo empapelado. Já o couro de mestiço é unido ao elastano, criando um “couro stretch” com textura de fustão. Nos acabamentos, uma tela típica de acessórios esportivos é reapropriada nos detalhes das peças e plásticos transparentes e opacos unem-se a bordados e elásticos rústicos, propondo uma estética mais pura para o verão. Nos pés, a construção das sandálias une o cabedal ao salto, deslocando o eixo de equilíbrio. Para completar, os solados são arrematados por pinos de chuteiras.

A silhueta é ora ajustada, ora próxima ao corpo e traz efeitos modulares e vazados — sempre colocando o corpo em evidência. Shapes emprestados do universo do esporte dão o tom body-conscious, como nos decotes de nadador e cavas tipo raglã. Mangas e bolsos anatômicos resumem a proposta de simplicidade com design.

Na cartela de cores, brancos: rosado, neve e gesso. Em seguida a família dos cáquis passeia por crafts, areias e beges. O roxo é o único tom que foge aos neutros e o chumbo entra em cena, substituindo o preto. As estampas vêm mais calmas, tanto em uma versão orgânica e abstrata, que mistura cinzas e palhas como em padronagens mais clássicas, como as de listras, ambas trabalhadas em variadas texturas.